Press Works - Agora você pode aparecer...

Notícia

22/11/2018

Atraso em voos: calculadora mostra qual o valor da indenização para o viajante

Startup NãoVoei indica gratuitamente se consumidor tem direito a reparação e presta suporte jurídico; mais de 1,5 mil pessoas já foram ressarcidas

Nao Voei

Quase 20% dos voos no Brasil sofrem com atrasos ou cancelamentos, segundo o último relatório da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), de 2016. Para ajudar os passageiros lesados nessas situações e os que também não voaram por overbooking, ou que tiveram a bagagem extraviada, a NãoVoei (www.naovoei.com) desenvolveu uma calculadora para avaliar a possibilidade de indenização àqueles que tiveram prejuízos acarretados por problemas em viagens aéreas.

Dependendo do dano, se moral e/ou financeiro, o ressarcimento pode chegar a R$ 8 mil. “Os incidentes mais comuns são de longas horas de espera e cancelamentos, mas nem todos são indenizatórios, como no caso de o tempo de demora não ultrapassar quatro horas ou se a companhia aérea oferecer a assistência necessária. Com a ferramenta do site, conseguimos entender o cenário e orientar os clientes com agilidade”, explica Alexandre Dumas, sócio da NãoVoei.

A calculadora é gratuita, em que o usuário responde a cinco breves perguntas sobre o ocorrido e descobre se a reclamação é passível de compensação financeira. Se positivo, o lesado é direcionado à rede de advogados parceiros para dar continuidade ao processo. A resolução pode levar até quatro meses e ao final, se houver pagamento de indenização, parte do valor é destinado à NãoVoei. Caso contrário, não há cobrança pelo serviço prestado.

A indenização é calculada de acordo com as particularidades da situação. A média estimada para overbooking fica entre R$ 4 mil e R$ 6 mil, já atraso ou cancelamento entre R$ 3 mil e 5 mil e extravio de bagagem varia conforme a perda estimada. Dentro desse cenário, a startup já conseguiu restituir R$ 12 mil para um cliente que, em uma viagem de férias, perdeu diárias de hotel, locação de carro e ainda teve suporte e direitos negligenciados pela operadora aérea, como hospedagem e alimentação. Além de todo o desgaste emocional causado ao passageiro.

Criada em junho de 2017, a startup já teve mais de 1,5 mil ações solucionadas, volume que tende a aumentar com a intensa movimentação dos aeroportos de todo o país no final do ano.

Sobre a NãoVoei

Startup que oferece suporte jurídico em busca de ressarcimento a passageiros brasileiros que tiveram prejuízos causados por voos atrasados ou cancelados, extravio de bagagem ou overbooking. https://naovoei.com.