06/09/2017

Inventores brasileiros participam de feira de tecnologia em Taiwan

Mala que vira mesa e para-choque para motos estão entre as 20 criações nacionais que serão apresentadas pela Associação Nacional dos Inventores

ANI

Certo dia, enquanto esperava por um voo, Bruno Monteiro teve um insight. Ele observava pessoas usando computadores de maneiras improvisadas e desconfortáveis no aeroporto e se perguntou: por que não produzir uma mala que se transformasse em uma mesa? O fruto dessa percepção, assim como outras 19 invenções brasileiras, serão apresentados pela Associação Nacional dos Inventores (www.inventores.com.br) na Taipei International Invention Show, entre 28 e 30 de setembro.

É a quarta participação da ANI – desta vez, a convite do governo taiwanês – na feira, que ano passado reuniu 543 expositores e cerca de 60 mil visitantes. "O objetivo do evento é aproximar inventores das empresas e indústrias que podem se interessar em manufaturar ou investir nesses produtos", explica Carlos Mazzei, presidente da Associação.

Criada como parte do propósito de firmar a região como polo de inovação, hoje a feira funciona como porta de entrada para o mercado internacional e inclui premiação para os melhores inventos. "Não importa a área a que se destinam as criações, o essencial é a criatividade, como mostra a seleção que levaremos a Taipei", diz Mazzei.

Um bom exemplo é o SIRM, ou Sistema Integrado de Requisições Médicas. Idealizado pela analista de sistemas Lídia de Oliveira após experiências hospitalares negativas com ambos os pais, o SIRM sintetiza e concentra em um único ambiente todos os dados médicos de determinado paciente. "Além de agilizar o atendimento, isso reduz o risco de acidentes causados por falta de informações, como quando a enfermeira quase deu um remédio que minha mãe, diabética, nunca poderia tomar", conta Lídia.

Outra invenção que irá com a ANI a Taiwan é um para-choque para motos que oferece proteção para os pilotos em colisões frontais leves, assim como garante uma camada extra de segurança para pedestres. Criado após o desenhista industrial Ricardo Avelino revisitar ilustrações de vinte anos atrás, o invento alia design a uma proposta que beneficia a população em geral.

Como resume Bruno, inventor da mala que vira mesa, os produtos brasileiros que vão à feira de Taipei são ideias que surgiram para solucionar problemas. "Agora nossa expectativa é encontrar o parceiro ideal durante essa experiência no exterior", afirma.

Outras invenções

Para representar o Brasil no evento, a Associação Nacional dos Inventores levará também as seguintes invenções: gôndola digital para supermercados, cinto portátil compactador de latas, máscara de sobrevivência para incêndios, apoiador de cabeça/pescoço multifuncional, dispositivo para coleta de fezes e urina humana, vareta regulável multiúso, sugador odontológico descartável, garrafa térmica inteligente, um novo modelo de caneta multifuncional, sistema para geração célula de biocombustível movido a água, compressor de membranas de dois estágios, dispositivo de alerta para veículos, contramarco sustentável para janelas e os aplicativos Tops e Easy Found – voltados aos mercados de marketing e vendas.

Sobre Associação Nacional dos Inventores

Instituição que auxilia inventores a registrarem suas ideias e divulgarem seus inventos. Criada em 1986 por Carlos Mazzei, a Associação Nacional dos Inventores fomenta o desenvolvimento de novos produtos no Brasil, desde dispositivos que ajudam na modalidade urbana até relativos a saúde, lazer, educação, etc. Além de facilitar o contato de inventores com a indústria, a ANI ajuda no registro das patentes – ao todo, já são cerca de 20 mil depósitos feitos. Em 1992, a Associação criou o Museu das Invenções, único do tipo na América Latina e instalado no mesmo prédio, em Perdizes, São Paulo (SP). www.inventores.com.br.

Gostou deste post?

Clique na estrela para avaliá-lo

Avaliação média / 5. Contagem de votos

We are sorry that this post was not useful for you!

Let us improve this post!