30/10/2018

Queda do dólar após as eleições reaquece planos de viagem dos brasileiros

Com ferramenta de barganha da MelhorCâmbio.com, consumidores adquirem moeda americana com taxas menores que as do mercado

Melhor Cambio

Depois de diversas oscilações ao longo de 2018, estimuladas pela instabilidade política brasileira e fatores externos, como o protecionismo dos EUA, o dólar chega ao final de outubro em queda, com a definição do novo presidente. A vitória do candidato Jair Bolsonaro (PSL) fez a moeda americana fechar no menor patamar desde maio, abaixo de R$3,60. O MelhorCâmbio.com (www.melhorcambio.com) projeta que essa desvalorização continue nas próximas semanas, reanimando os brasileiros que pretendiam viajar para o exterior no final do ano e acabaram desistindo ou enxugando gastos, frente à cotação muito acima do esperado.

As buscas pelo dólar já se intensificaram na manhã desta segunda-feira (29). Segundo o comparador de câmbio, houve um aumento de mais 150% no número de acessos e consultas na plataforma no período. Para facilitar ainda mais a vida de quem precisa adquirir a moeda americana a taxas menores, é possível utilizar a ferramenta de barganha do site: um sistema de ofertas realiza um tipo de leilão com as corretoras, em que o consumidor lança o valor que deseja pagar e, se alguma delas aceitar, o negócio é fechado. Outro recurso que auxilia a não perder novas oportunidades é o Alerta de Câmbio, que avisa os usuários sobre os momentos de baixa.

O clima delicado da disputa eleitoral e outros acontecimentos, como a greve dos caminhoneiros, no primeiro semestre, fizeram o dólar atingir recordes de pico, reduzindo a procura por pacotes de viagem e os gastos dos brasileiros fora do país – estes, segundo dados do Banco do Brasil, foram 30,7% menores em setembro, em relação ao mesmo período do ano passado.

Acima de R$ 4

A desvalorização do real começou em março e o dólar bateu a máxima histórica de fechamento em R$ 4,16, atingida em 2016, na esteira da acirrada corrida pela cadeira presidencial no Brasil e as políticas protecionistas de Donald Trump, que fizeram muitos investidores retornarem aos EUA. O mercado respondia de forma muito sensível a cada mudança apontada pelas pesquisas eleitorais, as quais registravam altas desde as primeiras: a moeda turismo chegou a ser negociada a R$ 4,50 em 22 de agosto e a R$ 4,21 no dia 30 do mesmo mês.

As esperanças se renovam com a tendência de queda, mas Alexandre Monteiro, sócio do MelhorCâmbio.com, destaca que os interessados em comprar a moeda não podem demorar muito. “Apesar do otimismo, o mercado é sempre imprevisível e as mudanças são repentinas. Por isso, o consumidor deve aproveitar agora para garantir um bom negócio com a queda da moeda”, declara. No site, ainda é possível acompanhar a variação diária de outras 21 moedas, em mais de 800 casas de câmbio de todo o Brasil.

Sobre o MelhorCâmbio.com

Fundada em maio de 2015, a startup mineira foi desenvolvida com o objetivo de oferecer uma alternativa eficiente e segura para que o usuário compare cotações de moedas estrangeiras entre várias casas de câmbio e ainda negocie a melhor condição possível através de um sistema de ofertas que funciona como uma espécie de “leilão”. Nele, o usuário decide o quanto deseja pagar, o sistema dispara a oferta para as casas de câmbio e a primeira que aceitar finaliza a operação, o que gera economia de tempo e dinheiro para o usuário. Na plataforma web, os usuários conseguem cotar 21 moedas em mais de 800 casas de câmbio presentes em 200 cidades de todo o Brasil. www.melhorcambio.com

Gostou deste post?

Clique na estrela para avaliá-lo

Avaliação média / 5. Contagem de votos

Sem avaliações seja o primeiro!

We are sorry that this post was not useful for you!

Let us improve this post!