03/06/2016

Startup transforma compradores em anunciantes para entrar em bilionário comércio de usados

Na Pago Até, consumidores determinam preços dos produtos; já são 17 mil cadastrados em seis meses

Pago Até

O mercado de compra e venda de produtos usados é um dos que mais cresce no mundo – no ano passado, a OLX, uma das gigantes do setor, movimentou R$ 70 bilhões, equivalente a 1% do PIB brasileiro. Para abocanhar uma fatia desse setor, a startup Pago Até (www.pagoate.com.br) decidiu inverter a lógica do negócio: na plataforma, o comprador anuncia o que deseja adquirir e o vendedor procura propostas interessantes. Em pouco mais de seis meses já foram mais de 11 mil produtos publicados, de roupas, acessórios e eletrônicos a carros, itens de colecionador e até imóveis.

Por trás da proposta, está a ideia de que inverter os papéis na transação permite ao comprador definir o preço e, portanto, pagar mais barato, e ao vendedor fechar o negócio mais rápido. "É só entrar no site, procurar quem deseja adquirir o que ele disponibiliza, ver o telefone, ligar e, em poucos minutos está feita a venda", diz Fernando Luz, sócio do Pago Até, que completa: “Em um momento de crise como o que vivemos no país, quem deseja comprar tem mais poder de barganha”.

Assim como na maioria dos players do setor, as transações podem ser feitas de forma independente pelas duas partes ou a plataforma intermedeia o pagamento mediante uma comissão, o que confere mais segurança ao negócio. Por permitir a venda direta, é difícil precisar quantas compras se concretizaram, mas 40% das propostas intermediadas pelo site da startup foram fechadas. "Além disso, estimamos que 50% dos anúncios recebem uma oferta em até 48 horas", afirma Felipe Machado, também sócio da empresa.

Hoje, o Pago Até tem 17 mil cadastrados. Até o final de 2016, a meta é chegar a um milhão. Depois de uma primeira rodada semente, a startup entrou num segundo momento de investimentos. Além do potencial do mercado, os sócios acreditam que o diferencial da empresa chama a atenção das pessoas, o que barateia a captação do público. "Fizemos um estudo e chegamos ao custo de aquisição por usuário de cerca de R$ 1. Esse número é até 80 vezes menor do que o praticado no mercado, ou seja, além de termos muito para expandir, podemos fazê-lo a um custo reduzido", explica Fernando Luz.

 

Sobre o Pago Até

Startup de comércio de usados com ênfase no comprador. No Pago Até, o comprador anuncia o item que deseja e quanto planeja pagar por ele. A plataforma permite tanto a negociação independente entre as partes, quando pode intermediar a transação com segurança mediante cobrança de taxa. Já foram postados 11 mil produtos desde seu lançamento, em dezembro de 2015. www.pagoate.com.br.

Gostou deste post?

Clique na estrela para avaliá-lo

Avaliação média / 5. Contagem de votos

We are sorry that this post was not useful for you!

Let us improve this post!